FAMA MAGAZINE

Quantas vezes já pensamos que o percurso desta vida esta muito dificil?

Ou quantas vezes já tivemos a sensação de que o fardo esta pesado demais para carregarmos?
Não é exagero nenhum afirmar, que diariamente gastamos oitenta por cento da nossa energia com preocupações, ansiedades e medos. Medo principalmente do futuro. Para alguns ao contrário, a energia é total desperdiçada com o passado, vivem ainda tão conectados naquele tempo, remoendo dores, acontecimentos, e perdas, e a dor permanece como se tivesse acontecido agora e nem se dão conta que isto ja foi… A conexão com o passado é tão forte que acabam perdendo um precioso tempo em viver o presente e sentir o aqui e o agora. Quem ainda esta acorrentado nestas amarras, acaba que ficando sem futuro, pois até ele, o futuro, se cansa de esperar e acaba abrindo espaço para quem esta mais conectado e interessado em soltar as pedras da mochila e seguir avante com mais leveza. Recentemente, eu tive a alegria e a oportunidade de percorrer o Caminho de Santiago. Iniciei a caminhada desde o Porto (Portugal) rumo a Santiago de Compostela (Espanha). Foram 240km percorridos à pé. Porém, muito mais que os kilometros percorridos, foram as revelações, o aprendizado e o encontro profundo que tive comigo mesma e com as minhas emoções. As dificuldades a todo momento se apresentavam, quase que, como um teste de resiliência provando o meu limite e medindo até onde eu conseguiria suportar o cansaço, a chuva, o sol, o peso da mochila e o desconforto em geral. Após dez dias de caminhada, quando finalmente cheguei ao meu destino e olhei para trás e para todo o caminho que eu ja havia percorrido, eu simplesmente agradeci e entendi o real sentido de fazer esta caminhada. Foi neste momento que consegui comparar o “Caminho de Santiago” com a maneira na qual nos relacionamos com a nossa vida. Imensamente me alegra dividir com voces esta experiência, para que a sua caminhada também nesta vida possa ser mais leve e com menos pesos na mochila. Minha percepção foi que tanto no Caminho de Santiago como na vida, nos passamos por 3 etapas. Primeira Etapa O Caminho: Logo nos primeiros Kilometros me perguntei. O que eu estou fazendo aqui? Afinal, qual o objetivo desta caminhada? Tudo me incomodava e a qualquer novo incomodo, eu reclamava. Estava difícil ver beleza, pois naquele percurso havia ainda muitos carros, barulho e poluição. A Vida: Quando chegamos a este mundo e começamos a nossa caminhada, passamos geralmente um longo período sem entender muito para que viemos. Passamos grande parte do percurso reclamando mais do que agradecendo. Segunda Etapa O Caminho: No final do segundo dia de caminhada, após percorrer 33km, o corpo doia de cansaço, nos pés tinha bolhas, a exaustão era tão grande que a única coisa que eu queria era chegar logo na próxima parada e descansar. A Vida: Almejamos tantas coisas e desenfreadamente corremos para alcançar estas coisa, e nem sequer percebemos a falta de respeito que cometemos com o nosso corpo, com a nossa saude. Desperdiçamos um tempo precioso de estarmos mais presentes com nossa família, amigos e conosco mesmos, pois estamos sempre com pressa em trabalhar, fazer carreira, ganhar dinheiro, dinheiro pra ter… ter…e ter… e esquecemos quase sempre de SER. Por vezes o corpo e a nossa mente estão em um estado de exaustão tao grande, e mesmo assim, recusamos parar, e com esta atitude injusta com a vida que nos foi presenteada, perdemos a chance de observar quantas coisas maravilhosas tínhamos para contemplar se tivéssemos simplesmente decidido caminhar com mais fé e com menos pressa. Terceira Etapa O Caminho e a Vida: Após ter entendido toda a lição da segunda etapa, compreendi que não fazia o menor sentido tanta pressa e tanta falta de respeito com os limites que o meu corpo podia suportar. Aprendi que eu nāo precisava me incomodar com os outros peregrinos que passavam a minha frente durante a caminhada, pois no final desta caminhada todos chegarão ao mesmo destino, de um jeito ou de outro. Aprendi que o importante é respeitarmos a caminhada de cada um, pois cada um tem um ritmo. E por fim entendi que o mais correto é quando respeitamos e prestamos atenção na nossa própria caminhada. Compreendi que as bolhas que se formaram nos meus pés no segundo dia da caminhada, que estas bolhas na verdade estão na nossa cabeça, com os nossos medos, ansiedades e inseguranças. Na realidade todos nos estamos nesta caminhada para aprender, para evoluir e com muito amor chegarmos ao nosso destino com a sensação de missão cumprida. Afinal, todos somos peregrinos nesta vida e todos somos “Apóstolos” escolhidos pelo Universo para seguirmos este caminho rumo a nossa Evolução Moral e Espiritual. Bom Caminho pra voce também.

Clarice Bomba

Clarice é profissional na área da saúde com formação em Health and Social Care pela South Thames Academy.

Tem formação na área de Life Coach pela International Coach Federation do Canadá. É também terapeuta facilitadora de Constelações Familiares – com formação pelo Instituto Bert Hellinger na Alemanha.

Contato

07979199232

Mídias Sociais

%d blogueiros gostam disto: