Câmara dos Lordes aprova lei que impede Brexit sem acordo

A Câmara dos Lordes do Reino Unido aprovou nesta sexta-feira (6) um projeto de lei que impede o Brexit (saída da União Europeia) sem um acordo e força o primeiro-ministro Boris Johnson a pedir uma prorrogação de prazo –originalmente, a data era 31 de outubro.

A regra, que já havia passado na Câmara dos Comuns na quarta-feira (4), faz com que Johnson peça uma extensão de prazo de mais três meses, se o Parlamento não aprovar um acordo ou uma saída consentida até o dia 19 de outubro.

A rainha Elizabeth II deve assinar o projeto e, assim, torná-lo oficialmente lei na segunda (9).

O texto foi aprovado pela Câmara dos Lordes sem um voto formal em sua etapa final.

Johnson já classificou a regra como “a lei da rendição”, e disse que ela destruiu suas negociações com a UE ao remover a ameaça de saída sem acordo.

Na quinta (5), ele disse que ele preferiria estar morto em uma vala a prorrogar a saída do Reino Unido da UE.

Ele expulsou 21 parlamentares do Partido Conservador no começo desta semana –eles haviam colaborado com a oposição na Câmara dos Comuns para aprovar a lei, contrariando os planos do governo.

Johnson afirmou que o Reino Unido agora precisa realizar uma eleição nacional no dia 15 de outubro para que os eleitores escolham quem eles querem que negocie a saída do Reino Unido da UE em um comitê em Bruxelas.

Os partidos de oposição, até agora, rejeitaram os pedidos dele por eleições –são necessários dois terços do Parlamento para convocá-las– dizendo que eles não estão dispostos a deixá-lo determinar os prazos da votação.

O Partido Trabalhista disse originalmente que eles iriam apoiar uma eleição, uma vez que o projeto para impedir um Brexit sem acordo se tornasse lei. Agora, no entanto, a oposição quer ver o adiamento de fato antes de eleições.

Via G1

%d blogueiros gostam disto: