Bovespa tem a sua maior queda percentual desde 1998: – 12% e perda de R$ 480 bi

O principal índice da bolsa de valores no Brasil, a B3, perdeu 12,16% de valor nesta segunda-feira (9). Esta é a maior queda da bolsa em mais de 20 anos. O dia foi marcado por uma tensão generalizada nos mercados globais, após o tombo no preço do petróleo adicionar mais um componente de turbulência, aumentando os temores de uma recessão global.

O Ibovespa terminou a segunda com 86.067 pontos, com o recuo de 12,16%, que confirma a maior queda percentual desde o dia 10 de setembro de 1998, com problemas com a moratória da Rússia. Esta queda fez a bolsa perder todos os ganhos de 2019, e voltar ao patamar de 27 de dezembro de 2018, quando marcou 85.460 pontos.

O Ibovespa acumula queda de 25,58% em 2020, enquanto o dólar fechou em queda na segunda, mas chegou a bater R$ 4,72. Logo na abertura da sessão, o índice já despencou 10%, atingindo mínimas em mais de um ano, o que provocou o circuit breaker, a interrupção temporária das negociações, que é ativada quando a Bolsa tem uma queda muito brusca.

A última vez que o circuit breaker foi acionado, foi no dia 18 de maio de 2017, devido às denúncias do dono da JBS contra o então presidente, Michel Temer. A Petrobras foi quem mais sentiu a queda, com suas ações desabando quase 30%, acompanhado outra complicação: a queda da cotação do petróleo.

A petroleira perdeu, segundo dados da Economatica, R$ 91 bilhões em valor de mercado. A estatal encerrou o dia avaliada em R$ 215,8 bilhões. Na última sexta feira, valia R$ 306,9 bilhões. Nesta segunda, o preço do petróleo caiu 25%, para perto de US$ 30, que foi a maior queda desde a Guerra do Golfo, entre os anos de 1990 e 1991.

%d blogueiros gostam disto: