Vale-compras: uma solução criativa para manter receita na crise do coronavírus

São muitos os negócios que precisaram abaixar as portas, por todo o mundo, durante a pandemia de coronavírus. Escritórios, bares, lojas e restaurantes precisaram, de uma hora para a outra, interromper todo o seu atendimento, precisando encontrar maneiras variadas para manterem as contas em dia e as empresas vivas.

De acordo com a revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios, as donas do Fenda Bar, em São Paulo, Janaína Duarte e Aline Vetillo, criaram uma campanha de financiamento coletivo. Nesta campanha, o dinheiro oferecido pelos interessados se transformará em vale-compras, para quando o bar reabrir suas portas.

Vouchers e vale-compras foi a solução encontrada não só por elas, mas por muitas pessoas mundo afora, que usam desta ferramenta da Internet, para seguirem movimentando seus caixas. A iniciativa nem busca o lucro, mas sim a necessidade de manter ao menos, os custos fixos, como o pagamento de aluguel e o salário dos funcionários.

A razão desta aposta é simples: pequenos negócios geralmente contam com a simpatia de seus clientes, e dos moradores do bairro. E estas pessoas estão dispostas a ajudar estes comércios durante estes dias. Assim, a saída é utilizar sites de vaquinhas virtuais, que permitem que pessoas doem quantias em dinheiro, em troca de algum benefício.

No caso do Fenda Bar, há opções de consumo que vão desde vouchers de R$ 50, a serem utilizados quando o bar reabrir as portas, até opções como reservas na área externa, por uma noite, por R$ 1.5 mil. As campanhas podem ser divulgadas pelas redes sociais, como o Instagram e o Facebook. “Nós temos visto pessoas comprando não pelo consumo, mas por boa vontade”, contou Aline, para a revista.

Quase todos os segmentos de negócio podem apostar no vale-compras

Lojas de roupas também podem seguir este formato. Apesar da possibilidade de entrega por serviços de correio ou delivery, sabe-se que há pessoas que gostam de experimentar o produto na loja, além de outros casos de pessoas que vão preferir passar estes dias de quarentena para poder fazer suas compras. Para estas pessoas, é possível oferecer vouchers de R$ 100, R$ 150, ou R$ 200, que podem ser utilizados no futuro.

São muitos os ramos de negócios que podem se aproveitar desta ferramenta. Espaços para animais, lojas de roupas, bares, restaurantes, salões de beleza e diversos outros segmentos podem usar de sites de financiamento coletivo. Basta usar a criatividade, e oferecer benefícios, como vender um voucher de R$ 100, oferecendo um vale-compras de R$ 120, por exemplo. E, mais do que nunca, usar e abusar das redes sociais, para se conectar a todos os seus clientes. Para que eles possam se conectar com sua campanha e apoiar a iniciativa.

 

%d blogueiros gostam disto: