Coronavírus: Reino Unido promete sistema de rastreamento capaz de rastrear 10 mil casos por dia

O primeiro-ministro Boris Johnson anunciou que o Reino Unido terá um sistema de rastreamento “dos melhores do mundo” a partir de junho. O anúncio veio após acusações de que o país deixou um “enorme buraco” nas defesas de coronavírus, permitindo, assim, que o território se tornasse um dos epicentros do coronavírus no mundo.

Boris disse que 25 mil rastreadores de contato, capazes de rastrear 10 mil novos casos por dia, estarão em vigor até primeiro de junho. Esta também é a primeira data estipulada para a reabertura gradual das escolas e lojas na Inglaterra. O líder trabalhista Sir Keir Starmer havia questionado o primeiro-ministro devido à ausência de um sistema de busca desde março.

Mas o primeiro-ministro também foi questionado sobre testes em casas de repouso durante a pandemia. Sir Keir perguntou por que “não houve nenhuma tentativa” eficaz de rastrear os contatos dos infectados pelo Covid-19 desde 12 de março “quando o rastreamento foi abandonado”.

Boris Johnson respondeu: “Temos uma confiança crescente de que teremos uma operação de teste, rastreamento e rastreamento que será de vanguarda mundial e, sim, ela estará em vigor em 1º de junho”. Acrescentou, também, que 24 mil traçadores de contatos foram recrutados.

Opções de rastreamento

O rastreamento de contatos é usado para identificar contaminados, e lidar com os casos de maneira antecipada, evitando novos contágios, e retardando a propagação de doenças infecciosas, como o coronavírus. O rastreamento já é usado em Hong Kong, Cingapura, e Alemanha.

Um método envolve a pessoa infectada, listando todas as pessoas com as quais esta pessoa manteve contato prolongado e recente. Ela será rastreada por telefone ou e-mail. Outro método usa um aplicativo, como o testado na Ilha de Weight, que identifica via Bluetooth pessoas com as quais o paciente teve contato recente.

O secretário de Saúde Matt Hancock disse na semana passada que um aplicativo de rastreamento de contatos – parte do plano de teste, rastreamento e rastreamento – seria lançado em toda a Inglaterra a partir de meados de maio. Mas que agora foi adiado.

Johnson não mencionou o aplicativo – atualmente sendo testado na Ilha de Wight – como parte de seu plano para 1º de junho. O primeiro-ministro também insistiu que o Reino Unido estava testando agora mais do que “praticamente todos os países da Europa”. E prometeu, assim, que o sistema seria intensificado na próxima quinzena.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: