Quer viajar ao Reino Unido? Confira as regras contra coronavírus do país

O Reino Unido, assim como praticamente todos os países do mundo, definiram regras de entradas e saídas do país, como uma das medidas para conter o avanço do coronavírus no país. Até o momento, todos os passageiros que chegarem ao Reino Unido, seja de avião, balsa, ou trem, e isso inclui os cidadãos britânicos, deverão dizer um endereço, que é onde ficarão, por duas semanas. As informações são da BBC.

Visitas surpresas, por pessoas do governo, serão usadas para verificar se as regras estão sendo seguidas. E multas para quem não se auto-isolar serão efetuadas. Se os viajantes não oferecerem um endereço, o governo oferecerá acomodações. Assim, a medida fará com que o contato com viajantes internacionais tenham com outras pessoas, assim que chegam ao Reino Unido. Tais medidas podem ser estabelecidas em todo o país, em junho.

As regras de contenção se aplicarão a todos?

Os transportes rodoviários e funcionários médicos seriam isentos, assim como viajantes vindos da República da Irlanda. Havia também, a sugestão de que a França também poderia ser isentada destas regras. Mas o governo insistiu de que as regras fossem mais rígidas, autorizando apenas os irlandeses desta isenção.

O secretário de Transportes, Grant Shapps, disse que “pontes aéreas” podem ser introduzidas. Este seria um acordo em que viajantes de países com baixos níveis de coronavírus poderiam ser isentos de quarentena. Seria um acordo para que viajantes de países com baixos níveis de coronavírus pudessem, de alguma forma, serem isentos da quarentena. Tal suporte vem de encontro com declarações do ministro do Turismo da Grécia, que pediu que seu país tivesse acesso mais ameno ao Reino Unido. A Grécia é um dos países que não contou com muitos casos, com 2.800 casos, e 163 mortes, com apenas duas mortes no país durante 24 horas.

Quais países também contam com regras de quarentena?

Outros países também sustentam a quarentena de duas semanas: Espanha, Itália, Grécia, Canadá, Emirados Árabes Unidos, Austrália e Nova Zelândia. Tais países trabalham com verificações de temperatura e restrições de entrada. Mas há outros com regras mais extremas. A Espanha, por exemplo, permite apenas a entrada no país de espanhóis e cidadãos britânicos com status de residente permanente.

Companhias aéreas britânicas reclamaram destas medidas. Elas alegam que tudo isso oferecerá um impacto devastador na indústria aérea, e na economia do país. Michael O’Leary, executivo-chefe da Ryanair, disse que a política “não tem credibilidade” e previu que ela será extinta em junho. E a Airlines UK, que representa várias companhias aéreas, disse que a quarentena “mataria efetivamente as viagens aéreas”. A British Ports Association, que representa as companhias de balsas, também se manifestou contra as medidas – chamando-as de “excessivamente zelosas”.

Quais outras medidas foram adotadas?

As orientações do governo, no que diz respeito a viagens, é de que todos os passageiros do voo devem permanecer a pelo menos dois metros (ou 6 pés) de distância de outras pessoas. E considerar o uso de máscaras, ou cobertura facial. Quem viaja para os aeroportos de Manchester, Stansted e East Midlands também já foram instruídos a cobrir o rosto, e usar luvas.

A EasyJet disse que todos os passageiros e tripulantes de cabine deverão usar máscaras quando retomarem alguns vôos em 15 de junho. Anteriormente, disse que manteria os assentos do meio em aviões vazios por um tempo. A Emirates e a companhia aérea americana Delta anunciaram planos semelhantes.

No entanto, a Associação Internacional de Transporte Aéreo, que representa as companhias aéreas globais, diz que deixar o assento do meio vazio não melhoraria a segurança dos passageiros. Ele também diz que a maioria das companhias aéreas não teria ganho dinheiro no ano passado se um terço dos assentos tivesse sido removido.

Alguns testes de triagem de temperatura também serão realizados em Stansted. Heathrow, um dos aeroportos mais movimentados do mundo, já está testando verificações de temperatura em larga escala. A Air France diz que os passageiros serão verificados quanto à temperatura antes de voar. A transportadora também tornou obrigatórias as máscaras – semelhante a várias companhias aéreas americanas.

Mas, quantas pessoas estão viajando ao Reino Unido?

Naturalmente, menos pessoas viajaram ao Reino Unido nos últimos dias. Como exemplo, entre os dias 16 e 22 de abril, o país recebeu 99% menos pessoas do que o mesmo período, em 2019. A Ryanair, que levou 13,5 milhões de passageiros em abril do ano passado, levou, neste mês, 40 mil passageiros. O atual exercício financeiro dá sinais de que o número de passageiros caia pela metade.

No entanto, a companhia aérea ainda quer reintroduzir 40% de seus voos a partir de primeiro de julho, com as restrições de viagem e medidas de segurança nos aeroportos. A British Airways está revisando seus planos para executar 50% de sua programação a partir de julho, devido às novas regras de quarentena.

%d blogueiros gostam disto: