Escolas reabrem na Inglaterra, mas metade dos pais ainda mantém seus filhos em casa

Algumas escolas do ensino fundamental Inglaterra reabriram as suas portas e alguns de seus alunos estão de volta às aulas. Mas pesquisas indicam que metade dos pais ainda não se sentem à vontade em mandar seus filhos para a escola. Apesar da reabertura, ainda não se trata de uma volta às aulas total, com algumas escolas que permanecem fechadas.

As crianças entre os anos 1 e 6 já podem retornar às aulas, após quase 10 semanas dentro de casa, devido ao bloqueio no país. As medidas de bloqueios foram aliviadas na Inglaterra, permitindo, por exemplo, encontro de grupos de seis pessoas ao ar livre. As escolas ficaram abertas, durante as restrições do coronavírus, mas apenas para filhos de trabalhadores-chave e crianças em situação vulnerável.

Ainda assim, há temores por parte de sindicatos de professores e autoridades locais. O que faz com que muitas escolas ainda não recebam seus alunos, seja de maneira total, ou parcial. O secretário de Educação, Gavin Williamson, disse que as crianças precisam acompanhar as aulas perdidas e, na escola, “estarão com seus professores e amigos novamente”.

Uma escola, apresentada pela BBC, mostra bem este “novo tempo” pós-coronavírus. As salas de aula foram totalmente reorganizadas, com mesas em fileiras, voltadas para a frente, ao invés das grandes mesas. Há o incentivo para lavar as mãos e as janelas sempre estarão abertas, para a circulação de ar fresco. A Escola dividiu cada classe em duas “bolhas”: uma metade estuda na segunda e terça, e a outra na quinta e sexta. Permitindo uma grande limpeza às quartas.

Pais divididos no retorno às aulas

“É realmente o melhor para a família”, diz a mãe Sophia enquanto leva os dois filhos para a escola. Ela conseguiu fazer algumas aulas em casa com os meninos nas últimas semanas, mas nem sempre foi fácil. “Eu estava 10% preocupada, mas 90% de mim achava que era a coisa certa a fazer”, diz Julia, que acabou de deixar o filho. “O principal é a normalidade e a saúde mental. Ele precisa da interação com os amigos. Ele está implorando para voltar”, disse.

Mas muitas famílias seguem com seus filhos em casa, como sugere uma pesquisa a Fundação Nacional de Pesquisa Educacional, com base nas opiniões de 1.200 líderes de escolas. Na pesquisa, 46% dos pais manterão seus filhos em casa por mais algum tempo. E 50% dos pais nas escolas em áreas mais pobres também manterão seus filhos em casa. E também 25% dos professores podem estar ausentes, por problemas de saúde deles ou de seus familiares.

No último domingo, o Reino Unido registrou mais 113 mortes por coronavírus, o que soma a um total de 38.489 óbitos. São 274.762 casos confirmados, sendo 236.273 ativos.

%d blogueiros gostam disto: