Ministros britânicos estudam meios de flexibilizar a quarentena para quem entra no Reino Unido

O governo do Reino Unido está procurando meios de flexibilizar a quarentena de 14 dias para as pessoas que entrarem no país pelos próximos meses. A partir desta segunda, a maioria das pessoas que chegarem ao país, incluindo cidadãos britânicos, devem se auto-isolar. A medida vale para quem entrar no país por avião, balsa ou trem.

Alguns deputados e empresas manifestaram preocupação com tal medida, afirmando que isso prejudica a indústria de viagens. Assim, fontes apuradas pela BBC afirmam que ministros estão estudando maneiras de contornar a quarentena, flexibilizando-a.

Tal iniciativa pode significar a inclusão da lista de trabalhadores isentos da regra da quarentena. Ou maiores liberdades para países com comprovadas baixas taxas de infecção, situação esta que o governo já afirmou que estava considerando.

Ainda assim, qualquer mudança seria guiada pela ciência. Mas há uma data possível para o relaxamento destas regras: 20 de julho, data do início das férias escolares. Enquanto isso, os números mais recentes do Office for National Statistics mostram que o número de mortes por semana relacionadas ao coronavírus caiu para seus níveis mais baixos na Inglaterra e no País de Gales desde março.

Os números do ONS mostram que houve 2.589 mortes na semana que terminou em 22 de maio, que foi o menor número semanal em sete semanas. Os números mostram que, no total, houve cerca de 286.700 mortes este ano – cerca de 43.800 foram atribuídas ao coronavírus.

As medidas de quarentena entram em vigor em 8 de junho, embora algumas profissões sejam isentas, como motoristas de caminhão, policiais, trabalhadores sazonais da fazenda e profissionais de saúde.
Também serão isentas pessoas provenientes da República da Irlanda, das Ilhas Anglo-Normandas e da Ilha de Man.

Como funciona o plano de quarentena para quem chega ao Reino Unido

Os viajantes deverão informar ao governo britânico onde ficarão. E, na falta de um endereço, as autoridades providenciarão acomodações. Na Inglaterra, check-ins aleatórios serão efetuados, com multas de até £ 1.000 para quem desrespeitar as regras. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte tem autonomia para lidar com esta situação, incluindo a criação de próprias penalidades.

O ministro da Habitação, Simon Clarke, disse à BBC Breakfast que a política de quarentena era “uma medida proporcional”, que minimizaria o risco de novos casos entrarem no Reino Unido “exatamente no momento em que a estamos controlando”. Ele disse que era uma “medida temporária e com tempo limitado”, mas acrescentou que era “vital” que fosse introduzida pelo tempo necessário.

O plano de quarentena deve ser revisado a cada três semanas, com a primeira revisão prevista para o final de junho.

%d blogueiros gostam disto: