Designer britânica viraliza após criar máscara adaptada para sua filha surda

No Reino Unido, uma designer gráfica encontrou uma solução útil para que pessoas surdas possam seguir com a comunicação em dia, mesmo em dias de distanciamento social. A movimentação da boca e expressões faciais fazem parte da comunicação da língua de sinais. E, com as máscaras, que devem ser utilizadas obrigatoriamente em diversos países, como no Reino Unido e em alguns estados do Brasil, tal comunicação fica comprometida.

Assim, Justine Bate, de Manchester, resolveu desenvolver uma solução para que sua filha, Teona, surda desde o nascimento, conseguisse se relacionar com os amigos na volta às aulas. Assim, a mãe, que também é surda, desenvolveu máscaras com uma janela de plástico sobre a boca, para que assim, a boca fique à mostra, e sua filha possa interagir com os amigos.

Bate postou sua criação no Facebook, e como resultado, recebeu uma enxurrada de pedidos de máscaras adaptadas. Seu marido, Carl Bate, explicou que a família está recebendo diversas mensagens de cuidadores de gente que têm demência, e crianças com graus de autismo. Estas pessoas se assustam com máscaras “completas”, por ser impossível ver a boca.

Contudo, Justine Bate declarou: “Não se tratava de ganhar dinheiro, mas sim de fazer algo para tornar a vida da nossa filha mais fácil”. Outro ponto enfatizado pela designer é que as máscaras não têm qualidade de Equipamento de Proteção Individual, os chamados EPIs, pois não há filtro.

%d blogueiros gostam disto: