O comércio da Inglaterra poderá reabrir suas portas na próxima segunda

Todas as lojas não-essenciais da Inglaterra poderão reabrir suas portas na próxima segunda-feira. Alok Sharma, secretário de negócios, confirmou a informação. Ele disse que a Inglaterra “continua cumprindo” os cinco testes do governo, feitos para diminuir e suspender as restrições causadas pelo coronavírus.

Ele também disse que os varejistas poderão abrir suas portas, desde que sigam as diretrizes de segurança. Mas pubs, bares, restaurantes e cabeleireiros seguem fechados, pelo menos, até o dia 4 de julho. Na Irlanda do Norte, por sua vez, o comércio reabrirá as portas nesta sexta. Escócia e País de Gales ainda não definiram datas para reaberturas. Cada nação tem autonomia no que diz respeito a decisões quanto a situação do coronavírus.

Os números atualizados do governo, desta terça-feira, somaram mais 286 óbitos pela covid-19, o que gera um total de 40.833 mortes. Na segunda, haviam sido registrados apenas 55. Mas há menos mortes anunciadas nas segundas, devido a atrasos nos relatórios no final de semana. O Reino Unido também somou 1.387 novos casos confirmados.

Boris Johnson havia sinalizado em maio que as lojas não essenciais poderiam retomar as atividades no dia 15 de junho. O primeiro-ministro disse que as empresas devem seguir todas as diretrizes de distanciamento social e higiene. Mas todos os varejistas também deverão fazer uma avaliação de risco de coronavírus em seus estabelecimentos.

Notificações poderão ser entregues a lojistas que não cumprirem tais normas. Os mercados ao ar livre já estavam funcionando, sendo liberadas no início do mês. As grandes lojas já se movimentaram quanto a reaberturas. A John Lewis abrirá, a princípio, apenas 13 filiais. E a Next abrirá 25 de suas 500 lojas, em um primeiro momento. Lojas de móveis e lojas de carros também já estão autorizados a funcionar.

%d blogueiros gostam disto: