Camisetas motivacionais são sucesso durante a pandemia

Desde o início da pandemia, mensagens motivacionais e de conscientização têm ocupado diferentes espaços desde folhetos e conteúdos postados em redes sociais à projeções de frases em prédios. Algumas mensagens agradecem aos profissionais de saúde, outras reforçam os cuidados com a higiene, por exemplo. Frases de otimismo, como “Nada dura para sempre”. “Tudo é aprendizado” e “Aguente firme. Vamos vencer juntos” também aparecem bastante.

Ao que tudo indica, chegou a hora de a moda fazer parte desse movimento. Máscaras diferenciadas e estilosas surgem para incentivar o uso do “acessório” e blusas com frases e estampas que carregam essas mensagens começam a aparecer timidamente para fortalecer essa luta de todos no enfrentamento à pandemia.

Em abril, o cantor Harry Styles colocou à venda, em seu site oficial, uma camisa estampada com as frases: “Stay Home. Stay Safe. Protect Each Other”. Em português, “Fique em casa. Fique seguro. Protejam uns aos outros”. A renda arrecadada com as camisetas é revertida para o Fundo de Resposta Solidária à Covid-19.

Camisa Harry
As camisas são vendidas por US$ 26 e podem ser adquiridas no site oficial do cantor. Crédito: Divulgação

“Em momentos como esse, é mais importante do que nunca relembrar o poder das pessoas. Se você pode ajudar, por favor doe o que pode. Fique em casa, isolado e proteja os outros. Trate os outros com bondade”, escreveu Harry em comunicado oficial.

Moda e solidariedade

E foi pensando nisso que a marca capixaba Olu Olu resolveu entrar na onda e passou a comercializar t-shirts que conscientizam suas clientes e seus seguidores sobre a importância do uso de máscara através de uma estampa muito especial e cheia de representatividade.

Luana Romanel é a diretora criativa da marca e conta que a ideia da peça surgiu a partir do desejo de ajudar outras pessoas. “No começo da quarentena percebi o quanto as pessoas estavam ajudando as outras. Comecei a pensar como poderia fazer a minha parte e também ajudar”, diz.

Além do valor simbólico das camisas, Luana fala sobre outro desafio: fazer a peça circular e atingir cada vez mais pessoas em tempos de crise. “Vender na quarentena não é fácil, ninguém quer comprar mais uma blusinha. As pessoas estão em casa, com salários reduzidos e várias funções extras. Por isso, em meio a toda essa loucura pensei: vou criar uma t-shirt e doar parte do lucro para algum projeto. Pronto, decidido!”, relembra empolgada.

%d blogueiros gostam disto: