Torre Eiffel volta a receber visitantes em Paris, mas sem elevador

A Torre Eiffel, o símbolo máximo de Paris, retomou suas atividades nesta quinta (25), após três meses fechados devido à pandemia do coronavírus. A torre costuma receber sete milhões de pessoas todos os anos, mas ficou solitária por causa das questões com o vírus que a França precisou lidar.

Quase 50 pessoas e jornalistas estavam presentes na reabertura, ao pé da torre. Os visitantes poderão subir apenas até o segundo andar, das três disponíveis, mas a pé e usando máscaras.
“Queria participar neste momento de alegria. Estou quase chorando, mas é de felicidade.

Depois de meses difíceis, esta é uma grande emoção”, afirmou Therese, 60 anos, que viajou de Perpignan, sudeste da França, para visitar o neto e aproveitou para acompanhar a reabertura do emblemático monumento parisiense. “Vou subir devagar … e se não chegar ao topo, não importa”, disse.

Subindo a torre

Desde a Segunda Guerra Mundial, Paris qualificada foi ocupada pela Alemanha Nazista por quatro anos, a Torre Eiffel não fica fechada por tanto tempo. As economias financeiras, sem visitação, chegaram a 9 milhões de euros (cerca de 8 milhões de libras ou 53 milhões de reais).

Pelos oito primeiros dias de abertura, apenas o primeiro e o segundo andar disponível, mas sem elevador. Será preciso subir a pé os 674 degraus do monumento. Os elevadores seguem fechados por questões de saúde. É possível que os elevadores voltem a funcionar em julho, com exceção dos menores, que levam os visitantes ao topo da torre.

Marcas no chão da cor azul, para distanciamento social, também foram colocadas, a uma distância de 1,5 metro. E todos, com exceção de crianças até 11 anos, usam máscaras.

pesar de não receber o público a partir de 13 de março, a Torre Eiffel seguiu todas as noites no céu de Paris. Também prestou homenagem aos profissionais de saúde com um grande “merci” (obrigado) luminoso.

%d blogueiros gostam disto: