Para impulsionar a economia, Reino Unido injeta 30 bilhões de libras em estímulos

O governo do Reino Unido anunciou nesta quarta-feira (8) novas medidas de estímulo de até £ 30 bilhões (cerca de R$ 202 bilhões). Os recursos serão destinados a impulsionar a economia britânica, à medida que os líderes tentam impedir que a crise econômica causada pela pandemia se torne uma “bola de neve”.

Desde que os bloqueios para conter o coronavírus (covid-19) foram implementados em março, governos de todo o mundo injetaram trilhões de dólares para garantir a sobrevivência das empresas que viram suas receitas caírem e para apoiar a renda das famílias à medida que o número de horas trabalhadas diminuiu. Dessa forma, o Reino Unido teme que desaceleração possa deixar cicatrizes profundas em suas comunidades, negócios e economia.

O novo pacote do Reino Unido marca o início de uma segunda fase de gastos públicos e reduções de impostos, visando aumentar a demanda e dar às empresas a confiança em trazer seus funcionários de volta ao trabalho, assim que o bloqueio for suspenso no país.

“Precisamos de pessoas que se sintam confiantes”, disse Rishi Sunak, chefe de Tesouro Britânico, aos parlamentares. “Isso impulsionará o crescimento”, disse ele. “Isso criará empregos”.

O estímulo é dirigido ao setor de hospitalidade, que é responsável por cerca de 10% do emprego total no país. O imposto sobre o valor agregado (IVA) para o setor foi reduzido de 20% para 5% e os britânicos receberão descontos financiados pelo governo para jantar de segundas a quarta-feiras.

Além disso, todos os empregadores do país que trouxerem os funcionários de volta à folha de pagamento do negócio receberão um bônus de £ 1.000.

PIB do Reino Unido sofre retração de 20,4% em abril

O PIB do Reino Unido teve um tombo recorde de 20,4% em abril deste ano, em relação ao mês de março. A retração aconteceu em meio a uma série de restrições sociais por conta da pandemia de coronavírus, que acabou afetando fortemente a economia. Os dados foram divulgados pelo Escritório de Estatísticas Nacionais do Reino Unido (ONS) no dia 12 deste mês.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou não ter ficado surpreso com os números. “Serão alguns meses duros, mas nós vamos superar isso. Nós também somos muito resilientes e criativos. Nós vamos voltar com tudo”, afirmou o mandatário.

%d blogueiros gostam disto: