Aéreas pedem flexibilização da quarentena britânica para o primeiro ministro

As principais pessoas ligadas ao setor de viagens e companhias aéreas pediram ao primeiro ministro a substituição de medidas de quarentena por corredores regionais de viagens. Em carta enviada a Boris Johnson, eles afirmaram que a quarentena de 14 dias para quem veio da Espanha trouxe perturbações.

Foi o “o último golpe significativo para um setor que agora corre o risco de ficar permanentemente marcado”, acrescentaram.

Eles pediram por viagens sem quarentena para áreas não afetadas por qualquer aumento nos casos de coronavírus. O que incluiria países como a Espanha, EUA e Canadá.

“Estamos em uma situação em que o governo está desaconselhando viajar para áreas da Espanha com taxas mais baixas de Covid do que o Reino Unido”, afirmou a carta. “Solicitamos com urgência uma reunião com você para discutir o desafio que nosso setor enfrenta e nossos caminhos propostos”, concluiu a carta.

A “bala de prata”

Entre os quase 50 signatários da carta estavam o executivo-chefe da British Airways, Alex Cruz, o executivo-chefe da Heathrow, John Holland-Kaye, e o executivo-chefe da Airlines UK, Tim Alderslade. Os chefes da indústria de viagens estão buscando maneiras de resgatar a temporada de férias.

A intervenção ocorreu depois que o secretário de Cultura, Oliver Dowden, disse à BBC que o teste de coronavírus nos aeroportos não era uma “bala de prata” para interromper a necessidade de quarentena, porque o vírus poderia se desenvolver com o tempo.

A mudança repentina do governo nos conselhos de viagem para a Espanha no fim de semana provocou uma nova onda de confusão e incerteza nos planos de férias das pessoas. A empresa de viagens Tui disse na quarta-feira que cancelou férias nas Ilhas Baleares e Canárias até 4 de agosto, depois que o Reino Unido estendeu seu conselho contra viagens não essenciais à Espanha para incluir suas ilhas.

Ele disse que os aeroportos devem ter permissão para testar o coronavírus para evitar o “precipício” da quarentena.

“Roleta da quarentena”

Os resultados financeiros de Heathrow, divulgados na quarta-feira, mostraram que os passageiros praticamente deixaram de viajar nos três meses até junho, caindo 96% em um ano atrás, quando a aviação global chegou a um impasse virtual. A receita foi 85% menor que no ano passado, em £ 119m.
Holland-Kaye disse: “Os resultados de hoje devem servir de esclarecimento para o governo – o Reino Unido precisa de um regime de testes de passageiros e rápido. Sem isso, a Grã-Bretanha está apenas jogando uma roleta de quarentena”.

Ele disse que queria que o governo trabalhasse com a empresa no plano e que ele poderia ter os locais de testes prontos “dentro de semanas”. Mas Dowden anulou a idéia, dizendo: “Não estamos no ponto em que há uma alternativa viável à quarentena de 14 dias”. No entanto, ele acrescentou que todas as opções estão sob revisão.

%d blogueiros gostam disto: