Atari 2600 aprende a falar após 38 anos de existência

No início dos anos 80, havia uma moda de fazer as máquinas produzirem sons  semelhante à fala humana. Havia várias soluções de hardware para isso, adicionando vozes a tudo, desde sistemas telefônicos automatizados a consoles de videogame, e até Steve Jobs usou o truque para apresentar o Macintosh ao mundo em 1984. No entanto, nunca havia sido implementado num Atari 2600, até agora.

Blogueiro do site rossumblog.com resolveu, 38 anos depois, pegar uma versão desses softwares da época e testar no videogame para ver se funcionaria, e a resposta foi sim! Utilizando o SAM (Software Automatic Mouth) original de 1982, ele conseguiu fazer o programa rodar por completo no Atari 2600 sem nenhum hardware adicional.

Para ser capaz de encaixar um pedaço de software aparentemente complicado nos insignificantes 128 bytes (sim, bytes) de RAM, Rossum na verdade usou uma ferramenta de autoria própria para pré-calcular os alofones e armazenar apenas aqueles na ROM. Dessa forma, o 2600 sozinho não pode converter texto em fonemas, mas há espaço suficiente para os alofones, que são convertidos em som, com cerca de dois minutos de fala que cabem em um cartucho.

Quanto ao motivo pelo qual ele criou tudo isso, citamos o próprio autor: “Porque criar xingamentos digitais com a tecnologia de síntese de fala de 1982 em um console de jogo de 1977 é exatamente o que precisamos agora.”.

O blogueiro escreveu um artigo em seu blog muito interessante sobre síntese de fala para explicar o mecanismo de SAM usado no projeto.  Abaixo segue o vídeo com a demonstração do projeto em que Rossum coloca voz num Atari 2600.

Como é possível perceber, a qualidade do som não é boa comparada ao que temos hoje em dia, mas entenda que este software funciona com 4 KB de RAM, o que é um tamanho de arquivo muito ínfimo para que se tenha uma grande qualidade.

A ideia de Rossum era adicionar voz aos seus próprios jogos e reviver os dias de glória, quando a fala do computador tinha uma personalidade encantadora e uma inteligibilidade limitada.

%d blogueiros gostam disto: