Projeto de lei no Reino Unido quer tornar ilegal a revenda de videogames a preços exagerados

O Reino Unido quer acabar com a “festa” de vendas de consoles a preços muito acima dos valores sugeridos pelos fabricantes. Tal prática, no mercado de ações, é chamada de “scalping”, que é, basicamente, a tendência de “compra na baixa e venda na alta”.

O problema é que, diferente das bolsas de valores, onde os preços das ações não são pré-definidas e flutuam por diversos fatores, os produtos, como os novos videogames, tem seus preços sugeridos pelas fabricantes.

Muitas pessoas tem reparado, após os lançamentos de Playstation 5 e Xbox Series X|S, ofertas dos consoles a valores muito superiores dos preços oferecidos pelas fabricantes. Que não é raro ser o dobro do anunciado pela fabricante.

Tais consoles são vendidos por pessoas físicas em sites de vendas de produtos, ou por lojas via Marketplace de grandes redes de ecommerce. A escassez dos produtos, que vão sendo adicionados “pouco a pouco”, pois a pandemia de coronavírus atrapalhou a produção plena destes consoles, mais o desejo de gente que quer jogar os novos videogames “a qualquer custo”, são fatores que fazem com que os novos consoles sejam vendidos a preços até 100% maior do que os sugeridos.

O projeto de lei britânico foi apresentado por Douglas Chapman, líder do Partido Nacional Escocês, e se chama Gaming Hardware (Automated Purchase and Resale). A lei quer tornar ilegal o ato de vender videogames por preço muito superior ao indicado pelas lojas. Assim como já acontece com a venda de ingressos para shows e espetáculos no Reino Unido.

O parlamentar, conforme apurado pela Eurogamer, não acredita que a proposta se torne uma lei de fato. Mas a propôs para sugerir que, no mínimo, o governo britânico tome alguma medida para lidar com esta prática comum nas revendas não só na ilha, mas em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil.

Inclusive, na época do lançamento do Playstation 5, um influencer britânico, que ganhou o console através da Sony local como parte da estratégia de publicidade da empresa, vendeu o console por 1.300 euros. No Reino Unido o Playstation 5 e o Xbox Series X contam com o preço sugerido de 449 libras, ou 499 euros.

Caroline Dinenage, ministra para o digital e cultura, esclareceu que o problema está sendo discutido com a associação local responsável pela venda de videogames e jogos. “Sabemos que a compra de diversas unidades através de bots automáticos é uma preocupação para alguns dos seus membros, que segundo sabemos, estão atualmente procurando encontrar mais formas de impedirem estes comportamentos e a trabalhar com as lojas para melhorar a experiência dos consumidores.”

No Reino Unido, há um projeto de lei específico para a revenda de ingressos de shows, que também são revendidos em vários locais pelo mundo, a preços muito superiores aos de bilheteria.

Assim, a intenção é fazer algo parecido ao mercado de videogames e PCs, incluindo também os acessórios para computadores, como placas de vídeos, para assegurar que os consumidores paguem apenas o preço recomendado pelo fabricante, ao invés de preços escolhidos por revendedor. E também estudam tornar ilegal a compra destes artigos usando bots.

A Sony assumiu a dificuldade em produzir Playstation 5 em larga escala, alegando escassez de elementos essenciais, como os semicondutores. Enquanto a Microsoft já tornou pública a intenção de normalizar a distribuição de seus Xbox Series X|S até o final do primeiro trimestre de 2021.

Esta e outras notícias de games e tecnologia você pode encontrar em arkade.com.br.

%d blogueiros gostam disto: