Outro caso suspeito de uma variante britânica de coronavírus foi investigado

Depois de confirmar que cinco pacientes infectados com as variantes de Manaus e do Reino Unido estavam no Rio de Janeiro, as autoridades começaram a realizar triagens de poluição para evitar a disseminação do vírus. Esse trabalho não é fácil.

Ontem à tarde, equipes de vigilância sanitária do estado e de Nova Friburgo estiveram na casa de uma família na cidade de Região Serrana e inicialmente se recusaram a repassar dados sobre parentes doentes.

O motivo pelo qual os técnicos só alcançaram os residentes de Friburgo foi que uma mulher de 36 anos com diagnóstico de variantes do inglês disse que teria uma reunião na casa do homem no dia 17 de janeiro. Segundo o ministro da Saúde Carlos Alberto Chaves (Carlos Alberto Chaves), caso não haja cooperação, o Ministério da Relações Públicas e a Defensoria Pública serão chamados:

– O Ministério da Saúde e a secretaria municipal de supervisão de saúde estão participando. Se as pessoas não cooperarem deliberadamente, ativaremos a agência de controle para torná-las obrigadas. Isso é saúde pública.

Ontem, a equipe conseguiu persuadir a família de Friburgo a finalmente cooperar. Atualmente, está investigando se o homem transmitirá a doença a uma mulher de 36 anos que mora perto da capital Fregecia. Ele desenvolveu sintomas no dia da reunião de família, mas não fez o teste para detectar Covid-19 no dia seguinte. Ambos foram curados.

A Vigilância Sanitária agora quer que ele faça um teste de sequenciamento genético para descobrir se ele foi infectado pela mesma cepa. Ambos disseram que não viajaram, nem estavam com ninguém do Reino Unido. Ariane Angioletti, advogada especialista em direito médico, explicou que, neste caso, há respaldo jurídico para solicitar informações ao paciente.

Segundo ela, é um princípio que a Constituição Federal coloca os direitos coletivos acima do individual e faz sentido tomar medidas para proteger a sociedade em caso de pandemia. Também revisou as disposições da Lei Penal e da Lei nº 13.979 a respeito de tal intervenção:

– Sim, é possível obrigar essas pessoas a cooperar. Eles negarão informações básicas sobre medidas para mitigar o impacto da nova cepa. Se for confirmada a contaminação de um residente de Friburgo, ele será o sexto paciente confirmado infectado por uma nova cepa no estado.

Uma situação são as mulheres da paróquia. Um morador de Belford Roxo, 55 anos, morreu de Adilson Cardoso de Jesus, no último dia do quinto dia. Outros incidentes incluem um homem de 40 anos de Lalandjeras e outro homem de 30 anos de Copacabana.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: